domingo, 24 de abril de 2011

Vídeos e relações...

Nos últimos dias um amigo veio ter comigo para lhe fazer um vídeo com fotos e texto para dar à namorada, ou melhor ex-namorada. Ao que parece deram um tempo e entretanto as coisas já não avançaram mais.

O vídeo era para ele tentar passar-lhe uma mensagem e sobretudo para tentar que ela reconsidere na sua decisão de terminar a relação, e vi nesse meu amigo que através de algo mais concreto e material, visual, a esperança de que ela pelo menos pare para pensar de novo que a relação vale a pena.

Enfim... e eu como sou o "tipo" multimédia aqui do sitio, vá de ele me telefonar e "encomendar" esse trabalho. Bem sei que é um trabalho, e tentei fazê-lo o melhor que pude com o material disponível e da maneira que achei melhor para o fim a que se destina, mas ainda assim é sempre difícil fazer uma coisa para este fim e com este conteúdo. Ficou mais ou menos certo a principio que seria uma coisa profissional, e que ele desde logo frisou que fazia questão de pagar, mas o que cobrar perante esta situação? Se por um lado foi um trabalho, por outro é um amigo de longa data e que ainda por cima é uma situação sempre delicada.

Estou a pensar em fazer um preço simbólico, mas apenas porque ele insiste. Será que faço bem, que faço mal? Espero não ser injusto, e sobretudo espero que o meu contributo através da minha "arte" possa ajudar no propósito para que foi criado e que um destes dias já os possa ver de novo juntos. E felizes, tal como as fotos que usei o demonstram!

2 comentários:

Blondewithaphd disse...

Uma vez, perante um trabalho que eu não sabia se devia cobrar ou não, disseram-me que as coisas são sempre mais apreciadas e valorizadas quando são pagas. Achei uma das melhores máximas que me ensinaram. Cobrei. Voltaram a pedir-me trabalhos, pelo que pude verificar que esse conselho era mesmo para seguir.
Acho que percebe o meu ponto de vista... :)

Olá Amor disse...

Yes Blonde, entendo perfeitamente! E desde já agradeço o conselho também.
E realmente devemos sempre valorizar ao máximo o que fazemos, independentemente de se tratar de um objectivo comercial ou não. Mas sendo eu um romântico, ainda acredito na valorização pelo trabalho em si e não tanto pelo valor monetário que lhe atribuímos! Se calhar isto já não se usa... :)
Mais uma vez obrigado pelo conselho e acho que o vou seguir daqui em diante mais vezes!